Get Adobe Flash player

Bolero

México e Cuba brigam até os dias de hoje pela paternidade do Bolero.

Mas de quem seria o crédito ?

Há quem diga que o Bolero tem sua origem no “Danzón” cubano. O primeiro “danzón” teria sido composto em 1810. Mas o Bolero, ora conhecido como “dança”, ora como “contradança”, teria nascido na Inglaterra, passando pela França e chegado à Espanha, de importância inquestionável na colonização do Caribe.

No século XVIII, um bailarino espanhol chamado Sebastian Cerezo, criou uma variação baseada nas “seguidillas”, bailados de ciganas, cujos vestidos eram ornados com pequenas bolas – as Boleras.

Outros dizem que o Bolero seria uma versão do “Fandango”, uma balada clássica européia muito romântica. Gênero que acabou entrando na música de Bethoven Verdi, e no Bolero de Ravel em 1928.

De qualquer forma, o “el son” seria o avô de todos os ritmos caribenhos, seguido do “danzón” e do “bolero”, que influenciou o mambo, a guajira, o cha-cha-cha, a salsa, entre outros.

Vários nomes são importantes na história desse ritmo.

O primeiro da lista é um mexicano nascido em 1900, chamado Agustín Lara, compositor de mais de 200 boleros, entre eles “Solamente Una Vez”. Outros nomes vêm a seguir, como Bienvenido Granda, Lucho Gática, Gregório Barrios, Pedro Vargas, entre outros.

A música mais famosa de todos os tempos no gênero, foi “Besame Mucho” (veja “letras famosas” em curiosidades) gravada em 1940, e que já recebeu mais de 500 versões.

A composição é da também mexicana Consuelo Velásquez e esse foi seu único sucesso...

Outro nome “sinônimo” de bolero é Lucho Gatica, um chileno que viveu 30 anos no México e se tornou um dos maiores ícones desse gênero musical.

Em 2003, veio ao Brasil para gravar o disco “Lucho Gatica – Entre Amigos”. Participaram do disco, artistas como Emilio Santiago, Joana, João Bosco e Cauby Peixoto. Lucho esteve no Brasil em 1955 com o sucesso da música “Sinceridad”, que acabou ressuscitando o Bolero por aqui. Alguns acreditavam que o Bolero influenciava o Samba negativamente.

Vale lembrar que o samba-canção, é um samba mais melódico, suave e mais lento, o que pode caracterizar essa influência.

 

Fonte: adaptação feita a partir de trechos do “Almanaque do Caribe” (coleção “Música de Verão”) e sites relacionados.